segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Feliz Natal oh oh oh!


A CPCJ de Albufeira comemorou esta época festiva, como vem sendo hábito ao longo dos tempos, com um jantar de confraternização que contou com a presença de actuais e antigos elementos e colaboradores desta comissão, no passado dia 9 de Dezembro.
A data, que proporcionou momentos muito animados e com boa disposição , permitiu ainda rever antigos colegas e reforçar os laços de amizade e cooperação.
Em nome da Comissão desejo a todos Festas Felizes e um excelente 2012!
Procurem fazer das fraquezas, forças para lidar com as dificuldades vindouras, num ano que se avizinha difícil mas que deverá ser enfrentado com pensamento positivo que, certamente, se reflectirá no sorriso das nossas crianças.
O.H.

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Sugestão de leitura e uma excelente prenda de Natal




O Pequeno Ditador






Para o autor do livro O Pequeno Ditador, limites e regras são fundamentais na educação. Saber dizer não pode ser o primeiro passo para que não passem a ser os mais pequenos a mandar lá em casa.
Javier Urra, psicólogo forense no Ministério da Justiça espanhol, já foi provedor de menores em Espanha e vê agora o seu livro transformado num verdadeiro best-seller. Em Portugal, já vendeu cerca de 20 mil exemplares e já vai na quarta edição. Em Espanha o sucesso ainda é maior, já com 180 mil livros vendidos. A razão de ser desta obra é simples - ajudar os pais a controlarem e evitarem que os seus filhos se transformem em pequenos ditadores. Talvez assim se deixem de ouvir lamentos como o que o autor lembrou: «Já não posso com o seu filho de 4 anos». Javier Urra lembra, por isso, que «um filho requer tempo, atenção, conflito e esforço» e garante que se não se fizer nada face a estes pequenos ditadores, «a situação só pode piorar».

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Uma abordagem diferente com base em boas práticas


Coimbra apresenta novo modelo para famílias problemáticas.

Após análise de 67 famílias, investigadora rompe com intervenção tradicional...

O apoio a famílias multi-problemáticas com crianças em risco, centrado nas potencialidades de mudança e não nos problemas, está na base de um novo modelo de intervenção desenvolvido por uma investigadora da Universidade de Coimbra (UC).
Criado por Ana Teixeira de Melo, da Faculdade de Psicologia de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra (UC), o Modelo de Avaliação e Intervenção Familiar Integrado (MAIFI) encara “a família como um todo” e “rompe com o modelo tradicional” de intervenção.
“Não chega aumentar os rendimentos e ensinar as competências parentais, é preciso ajudar as pessoas a serem uma família forte, para viverem melhor, apesar das dificuldades”, disse hoje a investigadora à agência Lusa.
Na abordagem tradicional, “o apoio à família é fragmentado, porque a prática em rede ainda é pouco usual”, o que leva a que “os problemas se mantenham e multipliquem e a família enfraqueça”, instalando-se um “clima de desesperança nas famílias e um desgaste muito grande dos profissionais”, apontou.
O novo modelo, desenvolvido nos últimos dois anos em sete concelhos, “centra-se nas forças e não nos problemas, na família e não nos indivíduos, estabelece um ambiente colaborativo em que as soluções são construídas em conjunto (família e profissionais)”, refere uma nota hoje divulgada pela UC.
Nas 67 famílias intervencionadas, disse, constatou-se que, “apesar das dificuldades, passaram a viver mais felizes e a apoiarem-se mais uns nos outros”. Desenhado especialmente para apoiar as Comissões de Protecção de Crianças e Jovens (CPCJ) e os tribunais, o modelo exige “grande flexibilidade das instituições e dos profissionais”, porque implica um “trabalho muito intensivo, em contexto domiciliário, de forma a assegurar a participação ativa e empenhada” das famílias.
“É importante apoiar a família, levá-la a aceitar determinadas condições para a mudança, de forma a permitir que a criança (em risco ou negligenciada) permaneça ou regresse a ela (nos casos em que foi retirada), mas também desenhar um projeto alternativo com maior segurança” quando se conclui que essa não é a melhor solução”, disse. A intervenção profunda junto da família, acrescentou, permite aos técnicos “maior segurança nas decisões que tomam”, sendo este um dos aspetos que mais valorizam no modelo proposto. A decisão dos técnicos acaba por ser “mais facilmente aceite pela família”, porque ela teve um “papel ativo” na intervenção prestada, soube “aquilo que era esperado dela e o que tinha de mudar”.
O modelo combina o trabalho clínico com as preocupações sociais, educativas, comunitárias e forenses, o que, segundo a autora, é outro dos aspetos inovadores.
Fonte: Lusa

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Formação fundamental para técnicos com competência em matéria de infância e juventude (E a realizar no Algarve!)

Exm.ºs Srs:

A Associação Chão dos Meninos, na sequência da formação que tem vindo a realizar junto da ARS Algarve e atendendo ao potencial interesse por parte de outros organismos em repetir a formação inicial, vem por este meio divulgar novas datas de acções de formação que decorrerão durante o mês de Novembro na DREALG, em Faro.

Iremos desenvolver um conjunto de três acções de formação subordinadas aos temas:

Abuso Sexual Infantil: conhecer para intervir
Avaliação e desenvolvimento de competências parentais
Síndrome de Alienação Parental

Seguros de serem temas do V. interesse para o desenvolvimento da intervenção na área das crianças e jovens em risco, junto anexamos o folheto de divulgação, apelando à participação dos técnicos da V. instituição.

Com os melhores cumprimentos

Dora Pereira
Coordenadora Técnica da Associação "Chão dos Meninos"


Para inscrições:chaodosmeninos.inscricoes@gmail.com

Comportamentos de (elevado) risco!


Entre os alunos de 13 anos, 27 por cento admitiram ter experimentado cannabis antes dos dez anos. Em 2003, 8,4 por cento disseram terem-no feito.

Os dados constam no estudo sobre consumo de álcool, tabaco e drogas entre os alunos do ensino público, que está a ser apresentado em Lisboa. O estudo incidiu nos estudantes entre os 13 e os 18 anos.

Apesar de existirem mais jovens que afirmam ter experimentado, a percentagem dos que consomem com regularidade diminuiu. Esta tendência não se aplica às drogas estimulante e ao álcool. O seu consumo está em alta e a atingir proporções particularmente graves no que diz respeito ao álcool.

Fonte: Público

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Para divulgação - Maus-Tratos, Negligência e Risco na Infância e na Adolescência‏

Exmos.(as) Senhores (as),


Estamos a poucos dias da realização do IV Encontro Nacional sobre Maus-Tratos, Negligência e Risco na Infância e na Adolescência, que se realizará nos dias 11 e 12 de Novembro de 2011, no Fórum da Maia.

Insistimos na divulgação porque acreditamos que é um Encontro de grande interesse para os profissionais da área dos menores em perigo.

Onde vão ser apresentados e discutidos assuntos do nosso dia-a-dia de trabalho. Cuja reflexão trará mais-valias para o trabalho que desenvolvemos no nosso dia-a-dia.

Relembramos que existem pacotes de preços para inscrições de grupos de 5 ou 10 pessoas.

Informe-se junto do nosso Secretariado pelos contactos: 252 413 496 ou 351 252 413 498 ou para geral.cafap.cf@asassts.com

Estamos ao dispor para qualquer informação.

Os nossos melhores cumprimentos

Raquel Sampaio

Comissão Organizadora

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Contribua e ajude a salvar uma criança...


...que poderá estar mesmo em perigo! Um pequeno gesto que poderá significar uma grande mudança. Eu já o visitei... E você, está à espera do quê?

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

A propósito da jovem Safira...




Creio ser consensual a ideia de que a reportagem, que a SIC transmitiu no dia 30 de Outubro, tocou-nos de uma forma intensa.





A peça jornalística aborda uma família que, perante o drama de ter uma criança com um tumor maligno extremamente grave, resolve não atender às pretensões médicas de uma medicina tida como convencional, que pressuporia um tratamento de 27 sessões de quimioterapia, e resolve optar por uma alternativa médica que não sujeitasse a menor a tal sofrimento.


Independentemente das razões subjacentes a cada um dos interlocutores - os pais por um lado, e o IPO pelo outro, - convém, no entanto, esclarecer as afirmações da progenitora, que acusou a CPCJ da sua área de jurisdição, de não defender os interesses da família e não saber proteger a criança em causa.


Importa realçar que a CPCJ nunca deliberou qualquer medida relativamente à Safira, por razões que a reportagem não especificou , mas que me atrevo a conjecturar no intuito de preservar o bom nome das Comissões e permitir às pessoas compreender um pouco melhor os mecânismos de intervenção de uma comissão. Posto isto, sublinhe-se que a decisão foi proferida por um tribunal, face à incapacidade da Comissão de aplicar ou executar uma medida, pelas razões que aqui se determinam:


a) os progenitores, quando contactados/notificados para comparecer na CPCJ, não o terão feito, pelo que não foi possível obter o consentimento para a intervenção daquela comissão;

b) a comissão fica impossibilitada de aplicar a medida, mesmo quando e se notificados, por não ser prestado, pelos progenitores, consentimento necessário à intervenção, como supramencionado, de acordo com o artigo 11º, alínea b) da lei 147/99, dando lugar à intervenção judicial;(Ou seja, por outras palavras, os pais, que são soberanos na sua decisão, recusam o apoio e a colaboração da comissão, e não lhe permitem decidir o que quer que seja, não restando outra alternativa que não seja a de remeter o processo para tribunal).


c) perante a gravidade da situação, e de acordo com o artigo 91º, nº1 da lei 147/99, existindo perigo actual ou iminente para a vida da criança, a comissão toma a medida mais adequada para a sua protecção imediata e solicita a intervenção do tribunal;


d) tal como referiram na entrevista, e após proferida sentença judicial, os pais alteravam a sua residência para dificultar a sua notificação contornando a competência territorial e a morosidade que alguma das diligências podem pressupor;

Perante os factos aqui descritos, parece-me injusto a acusação que sobre a CPCJ pende, proferidas por uma mãe que, perante uma tragédia que se abateu no seu seio familiar, não soube destrinçar as funções e competências da comissão e acusando-a de algo que não decidiu, uma vez que, realçando-se novamente este ponto, foi o tribunal que proferiu aquela decisão sem ouvir os pais. Nunca uma Comissão teria poder para isso, dado que se torna imprescindível o consentimento e, porque não dizê-lo, a colaboração dos progenitores na execução de uma medida deliberada por uma Comissão.


Esclarecimento feito, não me resta mais do que desejar toda a sorte e saúde do mundo para esta jovem sob a qual se deposita a esperança de todos nós, e ao exemplo de entrega dos pais pela coragem e devoção demonstradas.




Óscar Hilário









quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Uma notícia que se saúda: Europa aprova penas mais pesadas para pornografia infantil

Entre 10% a 20% das crianças europeias sofrem alguma forma de abuso sexual e todos os dias são colocadas em circulação 200 novas imagens de pornografia infantil.


O Parlamento Europeu aprovou hoje uma directiva que prevê sanções penais mais severas contra quem abuse sexualmente de crianças ou que aceda a pornografia infantil na Internet.

As novas regras obrigam também os Estados-membros a remover os sites que contenham esse tipo de conteúdo – ou, se tal não for possível, bloquear o acesso a essas páginas.

São 20 os crimes abrangidos pela nova directiva, que estabelece regras para toda a União Europeia sobre a definição dos crimes e sanções e medidas para a prevenção destes delitos e protecção das vítimas.

Já acordada entre Parlamento e Conselho de Ministros, a directiva deve ser formalmente aprovada antes do final do ano, ficando os Estados-membros com dois anos para a transpor para a legislação nacional.

Crimes cometidos por pessoas próximas mais penalizados

A pena será mais pesada quando forem cometidos por um membro da família, por uma pessoa que coabita com a criança ou que "abusou de uma posição manifesta de tutela ou da sua autoridade" (como professores, educadores de infância, entre outros).

Será também duramente penalizado o crime cometido contra uma criança numa situação vulnerável, nomeadamente, devido a deficiência mental ou física ou a um estado de incapacidade, como o causado pela influência de drogas ou álcool.

A produção de pornografia infantil será punível com uma pena de, pelo menos, três anos. Quem aceder intencionalmente a um site que contenha pornografia infantil incorre numa pena de um ano de prisão.

Fonte: RR




quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Um apelo sentido à comunidade

Caros Pais,

A pedido da Direcção do AEA remetemos o pedido de ajuda a uma filha nossa - a Júlia.
A Júlia é aluna da EB 1 e JI de Vale Pedras, mora em Albufeira e necessita urgentemente de um transplante de Medula Óssea.
Os Dadores de Sangue de Albufeira apelam a que participemos na campanha de angariação de dadores de Medula Óssea que se vai realizar no dia 22 de Outubro, no Hotel Paraíso de Albufeira, das 11h00 às 16h00.
Quantos mais dadores de medula óssea existirem mais hipóteses temos de salvar esta menina e quiçá uma outra criança.
Se já é dador ou não podes ser, por favor partilhe e divulgue para o máximo de amigos possível, para que esta campanha seja um sucesso.
Cumprimentos solidários

Pela APEBSA
Fátima Custodio



Contactos APEBSA - 927078577 - 919888462 - http://www.facebook.com

sábado, 15 de outubro de 2011

Filmes para o IPO. Contribuam para um sorriso



O Instituto Português de Oncologia (IPO) está a angariar filmes VHS ou DVD's para os doentes da unidade de transplantes que estão em isolamento.

São crianças e adultos que precisam de um transplante de medula e de estar ocupados durante o tempo de internamento, explicou ao Portugal Diário a Enfermeira responsável pela unidade, Elsa Oliveira.
A falta de "stocks" torna necessária a ajuda da população.
Precisamos de filmes para as pessoas mais desfavorecidas que não têm possibilidade de os trazer. Algumas crianças trazem os seus próprios filmes e brinquedos mas depois quando têm alta levam-nos, acrescenta.
O IPO aceita todos os géneros de filmes, mas a preferência vai para a comédia.
Numa altura menos feliz das suas vidas, um sorriso vai fazer bem a quem passa dias inteiros numa cama de hospital.
Rir é sempre um bom remédio :)

As cassetes de vídeo ou DVD's podem ser enviadas para:

Instituto Português de Oncologia de Francisco Gentil
Unidade de Transplante de Medula
A/C Sr.ª Enf. Elsa Oliveira
Rua Professor Lima Basto 1070 Lisboa Ou então, informe-se pelo telefone:
217 229 800 217 229 800 217 229 800 217 229 800 (geral IPO) 21 726 67 85 21 726 67 85 21 726 67 85 21 726 67 85

domingo, 25 de setembro de 2011

Convite...


Exmos. Senhores,
A Associação Crianças da Vila vem por este meio promover a conferência "Reflexão de estratégias de intervenção com jovens: o processo de promoção e protecção e o processo tutelar educativo", a realizar-se no dia 29 de Setembro de 2011, às 09.00 horas, no auditório do Liceu Camões, em Picoas, Lisboa.

Junto enviamos programa e ficha de inscrição.

Apresentamos os nossos melhores cumprimentos,

Rita de Sá Coelho
Presidente Interina
Associação Crianças da Vila
www.criancasdavila.no.sapo.pt

sábado, 24 de setembro de 2011

Uma excelente iniciativa! A ver...




Temos muito gosto em informa-lo(a) em primeira mão, do arranque da nossa 4ª Campanha de Prevenção do Insucesso Escolar, Onde oferecemos óculos completos, a todos os “pequenotes” que necessitem deles.
Com esta campanha queremos transmitir aos pais e profissionais da educação a importância da detecção de possíveis problemas de visão nas crianças, evitando por vezes algum insucesso escolar, associado ao facto da criança ver mal, sem saber.
Por este motivo, tal como em anos anteriores, de 15 de Setembro a 31 de Outubro oferecemos, em todas as ópticas ALAIN AFFLELOU, exames visuais gratuitos a crianças com idades compreendidas entre os 5 e os 7 anos e se for detectado algum problema visual, ser-lhes-ão oferecidos uns óculos graduados (armação + lentes) adaptados à sua graduação.

O Blogue informa que o Algarve possui ópticas desta empresa em Faro e Loulé.

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Votos de um bom ano lectivo a toda a comunidade educativa. O texto serve para reflexão...


A indisciplina nas escolas (vista pelo filósofo F. Savater)



Especialistas reunidos em Espanha concluiram o seguinte:


Aumento da violência nas escolas reflecte crise de autoridade familiar
Especialistas em educação reunidos na cidade espanhola de Valência defenderam hoje que o aumento da violência escolar deve-se, em parte, a uma crise de autoridade familiar, pelo facto de os pais renunciarem a impor disciplina aos filhos, remetendo essa responsabilidade para os professores.
Os participantes no encontro 'Família e Escola: um espaço de convivência', dedicado a analisar a importância da família como agente educativo, consideram que é necessário evitar que todo o peso da autoridade sobre os menores recaia nas escolas.

'As crianças não encontram em casa a figura de autoridade', que é um elemento fundamental para o seu crescimento, disse o filósofo Fernando Savater.

'As famílias não são o que eram antes e hoje o único meio com que muitas crianças contactam é a televisão, que está sempre em casa', sublinhou.

Para Savater, os pais continuam 'a não querer assumir qualquer autoridade', preferindo que o pouco tempo que passam com os filhos 'seja alegre' e sem conflitos e empurrando o papel de disciplinador quase exclusivamente para os professores.

No entanto, e quando os professores tentam exercer esse papel disciplinador, 'são os próprios pais e mães que não exerceram essa autoridade sobre os filhos que tentam exercê-la sobre os professores, confrontando-os', acusa..

'O abandono da sua responsabilidade retira aos pais a possibilidade de protestar e exigir depois. Quem não começa por tentar defender a harmonia no seu ambiente, não tem razão para depois se ir queixar', sublinha.
Há professores que são 'vítimas nas mãos dos alunos'.

Savater acusa igualmente as famílias de pensarem que 'ao pagar uma escola' deixa de ser necessário impor responsabilidade, alertando para a situação de muitos professores que estão 'psicologicamente esgotados' e que se transformam 'em autênticas vítimas nas mãos dos alunos'.

A liberdade, afirma, 'exige uma componente de disciplina' que obriga a que os docentes não estejam desamparados e sem apoio, nomeadamente das famílias e da sociedade.

'A boa educação é cara, mas a má educação é muito mais cara', afirma, recomendando aos pais que transmitam aos seus filhos a importância da escola e a importância que é receber uma educação, 'uma oportunidade e um privilégio'.

'Em algum momento das suas vidas, as crianças vão confrontar-se com a disciplina', frisa Fernando Savater.

Em conversa com jornalistas, o filósofo explicou que é essencial perceber que as crianças não são hoje mais violentas ou mais indisciplinadas do que antes; o problema é que 'têm menos respeito pela autoridade dos mais velhos'.
'Deixaram de ver os adultos como fontes de experiência e de ensinamento para os passarem a ver como uma fonte de incómodo. Isso leva-os à rebeldia', afirmou.

Daí que, mais do que reformas dos códigos legislativos ou das normas em vigor, é essencial envolver toda a sociedade, admitindo Savater que 'poderá valer mais dar uma palmada, no momento certo' do que permitir as situações que depois se criam.

Como alternativa à palmada, o filósofo recomenda a supressão de privilégios e o alargamento dos deveres.

Fonte: Lusa

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Para os interessados é uma oportunidade única para consolidação de conhecimentos na área


15.º Curso de Pós-Graduação em Protecção de Menores - Prof. Doutor F. M. Pereira Coelho

22. Outubro 2011 a 24. Março 2012
Coordenação

Prof. Doutor Guilherme de Oliveira
Mestre Rosa Martins

Direcção Científica

Prof. Doutor Guilherme de Oliveira
Mestre Rosa Martins

DURAÇÃO DO CURSO:
90 horas

HORÁRIO das AULAS
Sábado: Manhã - 10.30 h / 13.00 h; Tarde - 14.30 h / 17.00 h

HABILITAÇÕES:
Qualquer graduação no ensino superior

VAGAS:
60 (30 juristas, 30 não juristas)

PERÍODO DE INSCRIÇÃO:
Até 14 de Outubro de 2011, por correio registado ou presencialmente (as inscrições são feitas por ordem de chegada até ao limite de vagas existente)

PROCESSO DE INSCRIÇÃO:
Certificado de habilitações (original ou cópia), curriculum vitae abreviado, 1 foto tipo passe, ficha de inscrição preenchida e pagamento da inscrição de 250 € (cheque passado em nome de Centro de Direito da Família ou transferência bancária para o NIB 0018 0000 3888 4800 00150)

INÍCIO DO CURSO:
22 de Outubro de 2011

FIM DO CURSO:
24 de Março de 2012

PROPINAS:
3 propinas de 250 € (Novembro de 2011, Fevereiro de 2012 e Março de 2012)

CERTIFICADO DE FREQUÊNCIA:
Com o mínimo de 75 % de presenças

DIPLOMA:
Com 75 % de presenças e apresentação de um trabalho escrito (defesa oral facultativa) (propina: 275€)


Inscrições e Informações:

Centro de Direito da Família Faculdade de Direito
Universidade de Coimbra
3004-545 Coimbra
Tel./Fax.: 239821043
Email: cdf@fd.uc.pt
www.lexfamiliae.org
www.centrodedireitodafamilia.org

1º Curso Intensivo - DIREITO DA FAMÍLIA E DA CRIANÇA


Informamos que vai realizar-se o 1º Curso Intensivo DIREITO DA FAMÍLIA E DA CRIANÇA nos dia 15 e 22 de Outubro próximo. Para aceder aos seus conteúdos poderá consultar o documento anexo em http://www.ispa.pt/ISPA/vPT/DFP/

Estamos ao dispor para qualquer informação adicional que necessite e esperamos que possa participar neste evento. Se conhecer potenciais interessados nesta temática, agradecemos que, se quiser, reencaminhe este mail.


Com os melhores cumprimentos,


Andreia Antunes

Atendimento/Secretariado

Departamento de Formação Permanente do ISPA - IU

Rua Jardim do Tabaco nº 34

1149-041 Lisboa

Telef: 218811785 Fax: 218860954

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Negligência e abandono escolar entre os maiores riscos


Mais de 68 mil menores em risco receberam acompanhamento no ano passado





Mais de 68 mil crianças estiveram em risco e foram acompanhadas pela Comissão de Protecção de Menores em 2010, refere o relatório de Avaliação de Actividade das Comissões de Protecção, apresentado ontem em Lisboa. O documento conclui que o volume global de processos continua a aumentar, mas a quantidade de novos casos tem vindo a diminuir. Em contrapartida, o número de casos transitados de anos anteriores aumentou face a 2009 - houve mais 337 -, assim como o número de processos reabertos, que foram mais 1365.

"Os processos reabertos aumentaram significativamente, mais de 33%", afirmou Ricardo Carvalho, secretário-executivo da Comissão Nacional de Protecção de Crianças e Jovens em Risco, citado pela Lusa. Durante o ano anterior, as comissões acompanharam 68 300 processos, que corresponderam ao envolvimento de 68 421 crianças em situações de risco, já que por vezes os procedimentos abrangem mais do que uma criança, como no caso de irmãos. Do total de processos, 34 753 transitaram de anos anteriores, 28 103 foram novos casos e 5444 foram reabertos.
As situações de perigo identificadas com mais frequência foram sobretudo negligência, seguida de exposição a comportamentos desviantes, como violência doméstica, e abandono escolar. Entre as situações de perigo identificadas com valores menos representativos estão a prática de crimes, o abandono, o abuso sexual e o uso de estupefacientes. Mas o número de casos de maus-tratos é superior ao de abandono escolar e o número de abusos sexuais é superior ao de abandono.
O abandono de crianças pela família aumentou desde há três anos, embora os casos continuem a ser residuais, contando-se perto de 300 situações destas. O documento destaca as medidas de apoio às crianças junto dos pais, havendo uma diminuição de medidas de separação do meio familiar.



Fonte: Lusa

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Abandono escolar está a aumentar por causa da crise



Os tempos difíceis que o país vive devido às medidas de austeridade estão a reflectir-se nas escolas. Este ano lectivo, há registo de abandono escolar antes da conclusão do nono ano. Nos últimos tempos, temos conhecimento de algumas escolas onde alguns alunos, por volta dos 15 anos, antes do nono ano, têm abandonado as escolas. Isso é preocupante. Três ou quatro ou dez casos que sejam são motivo de preocupação para as escolas”, denuncia Manuel António Pereira, presidente da Associação Nacional de Dirigentes Escolares.

“Temos conhecimento de alguns na zona Sul, nas zonas urbanas e semi-urbanas, mas também nas zonas rurais”, acrescenta, sublinhando que há outra situação que “não podemos iludir: há muitos alunos que se mantêm na escola apenas porque a escola é o garante de uma refeição diária completa”.

A situação não é exclusiva deste ano lectivo e a preocupação aumenta, uma vez que as expectativas são que as dificuldades económicas não devem acabar em breve e, por outro lado, a escolaridade obrigatória passou para o 12º ano.

Manuel António Pereira destaca, contudo, que as famílias têm de perceber que a resposta à crise pode passar pela escola: “A escola é uma porta de entrada e não uma porta de saída. Acredito plenamente que uma das formas de sair da crise é a aprendizagem na escola", diz Manuel António Pereira
“Era importante que as famílias percebessem que uma das formas de sair da crise é a escola e a aprendizagem na escola. Em termos práticos, as escolas não podem fazer muito, a não ser continuar a trabalhar junto das famílias e ter os psicólogos e assistentes sociais junto das famílias para fazer esse tipo de trabalho”, defende.
Fonte: Lusa

Também em Albufeira houve um aumento do abandono escolar. Espero, em breve, poder trazer dados mais concretos, do nosso concelho, quanto a este flagelo que assola as escolas de Norte a Sul de Portugal e é uma das principais causas de sinalizações, e,consequente abertura de processo na nossa CPCJ.
Óscar Hilário

segunda-feira, 4 de julho de 2011

PIT - Um falhanço anunciado no combate ao abandono escolar?


CDS e PS juntaram-se na aprovação do novo Estatuto do Aluno. Uma das medidas emblemáticas foi a criação de Planos Individuais de Trabalho para os alunos com excesso de faltas. O objetivo era generoso: impedir o abandono escolar desses alunos e recuperá-los para a escola e para a aprendizagem.
Um ano depois o balanço é esmagador: os PIT não funcionam, aumentam a carga burocrática dos professores e não conseguem recuperar os alunos.
A alternativa aos PIT é criar uma via profissional mais precoce. Esperar que o aluno atinja os 15 anos de idade é demasiado tarde para muitos.
O programa do governo aponta para a criação de um sistema dual, com uma via profissional bem articulada com as empresas, as quais poderão dispor de financiamento para aceitarem jovens em formação no local de trabalho.
A ideia é boa mas só funciona se estiver disponível para alunos com menos de 15 anos de idade.
A via profissional deve ser oferecida à saída do sexto ano de escolaridade. Alunos com negativa nos exames nacionais de português e matemática devem ser encaminhados para a via profissional. Um via aberta. Que permita aos alunos transitarem para a via académica e prosseguir estudos caso mostrem que são capazes.

domingo, 3 de julho de 2011

Uma excelente proposta...

Saudações,

Mais um ano..... e mais um retiro de Yoga para os mais jovens... desta vez na Quinta dos Milagres!!! (Dos 7 aos 14 anos)

Uma boa oportunidade para experienciar momentos únicos de diversão em contacto com a natureza e a filosofia do yoga, através de jogos, arte, alimentação saudável e saborosa e .... surpresas!!!!

Dêem uma vista de olhos no programa e ajudem na divulgação.


Retiro de na Qt.ª dos Milagres
Odiáxare / Sargaçal

7, 8, 9 e 10 de Julho de 2011
Programa

Quinta, 7
19h00 – Chegada/Acomodação
Jogos de apresentação
20h- Jantar
Apresentação do Programa

22h00 – Recolher

Sexta, 8
7h – Despertar/ higiene 7h30 – Aula de ioga 8h30 – Pequeno almoço
9h30 –Caminhada/ jogos “Janelas da Natureza” 11h30 – Tempo livre
13h – Almoço
15h30 – Arte na Natureza 17h - Piscina 18h 30 – Aula de ioga
20h00 – Jantar
22h – Olhar as estrelas e Deitar

Sábado, 9
7h00 – Despertar 7h 30–Aula de ioga
8h30 – Pequeno-Almoço 9h30 – Actividade Surpresa
13h 00 – Almoço 14h30 – Karma Yoga/ tempo livre
16h30 – Passeio/ jogos cooperativos 18h30 – Aula de ioga
20h00 – Jantar 21h30 – Meditação e histórias 22h - Recolher

Domingo,
7h00 – Despertar 7h30 – Ioga: Saudação ao Sol
8h30 – Pequeno Almoço 9h30 – Tempo livre
10h30 – Arrumação e Limpeza Geral 11h30 – Workshop de culinária
13h - Almoço
14h30 – Chá e bolo c/ os pais … Partilha de experiências e …

Até Breve



Contacto » Rui – 960 301 998 » 919 133 434
Preço » 111 € (incluí estadia, refeições e actividades/material) Inscrição/Sinal 50€
(Inscrições limitadas e confirmação com pagamento total até 5 dias antes)
Levar » saco cama, artigos de higiene pessoal, toalhas, chapéu, roupa e calçado confortável, (lanterna opcional)

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Is there anybody out there...?



A Associação Portuguesa de Crianças Desaparecidas (APCD) registou nos primeiros quatro meses deste ano um total de 766 desaparecimentos de jovens com idades entre os 12 e os 18 anos.

A APCD, organização não-governamental que assinala na quarta-feira o Dia Internacional da Criança Desaparecida com o lançamento de um manual de segurança infantil, regista também um total de 53 casos de crianças até aos 12 anos que desapareceram desde o passado mês de Janeiro.
Em 2010, a APCD, que presta apoio psicológico e jurídico às famílias de desaparecidos, somou 1.972 participações de jovens desaparecidos entre os 12 e 18 anos, enquanto o número de crianças até 12 anos sem paradeiro fixou-se em 115.
Patrícia de Sousa Cipriano, presidente da APCD, sublinha a importância do lançamento do manual de segurança infantil, que "veicula uma série de regras de segurança para proteção das crianças e procedimentos a ter em conta aquando do desaparecimento de uma criança", na quarta feira, para combater um fenómeno de crescente preocupação para a União Europeia.
"Foi com grande esforço e dedicação que compilámos estas regras, que vão ser distribuídas gratuitamente no site (www.ap-cd.pt), através de download, a partir do dia 25 de Maio. Todos os cidadãos poderão aceder a regras básicas de protecção de uma criança, sem qualquer custo", refere.
Fonte:DN

terça-feira, 21 de junho de 2011

Curso de Avaliação Psicológica e Diagnóstico em Crianças e Jovens - Silves

Realiza-se nos dias 1, 2, 8 e 9 de Julho de 2011 na Biblioteca Municipal de Silves.

o vaor é de 50€ sendo o curso presencial de 25 horas

Veja mais informações no folheto disponível:http://www.educarte.com.pt/

Envie a sua inscrição para:

A/C Ana Paiva, Câmara Municipal de Silves, Largo do Município, 8300-117 SILVES

ou através de psicologia@cm-silves.pt ou ana.paiva@cm-silves.pt ou 282440800/ext.420

sábado, 18 de junho de 2011

Embora tudo tenha uma explicação, custa a acreditar (Parte II)

Maus Tratos...



Adelaide voltou a ser mãe

Adelaide Silva, a escriturária de 37 anos de Vila Nova de Gaia que, em Fevereiro de 2008, matou o seu bebé recém-nascido, não precisou de levar para a prisão o filho que teve a seguir. O juiz condenou-a a quatro anos de pena suspensa. Adelaide tinha já três filhos quando nasceu o quarto, em casa, na sanita. Tapou-lhe o nariz e a boca com uma mão e asfixiou-o até à morte. De seguida, meteu-o no congelador. O juiz considerou que a arguida estava angustiada, alterada, deprimida, "em negação da realidade". Adelaide não ouviu nenhum destes adjectivos. No dia da sentença, estava a recuperar do parto de um menino, nascido dois dias antes.

Para além das situações de psicose aguda, o psiquiatra Phillip Resnick apontou recentemente à revista norte-americana Time quatro outras "motivações-tipo" para este crime. Na primeira, a morte de uma criança às mãos do progenitor surge como um acto altruísta. É o que acontece, por exemplo, quando alguém decide suicidar-se e acredita que, ao matar também o seu filho, está a poupá-lo a uma grande dose de sofrimento. A morte pode ainda resultar de uma agressão fatal que não visava propriamente aquele fim. Na terceira circunstância, o bebé é indesejado, fruto de uma gravidez não planeada, muitas vezes resultante de uma infidelidade ou de uma relação clandestina.
Fonte: Público

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Embora tudo tenha uma explicação, custa a acreditar...



Maus tratos - PJ conta 55 crianças mortas pelos pais em cinco anos .

Doze crianças morreram no ano passado às mãos dos seus pais. Não é o número mais elevado: em 2009, foram 15 as crianças mortas naquelas circunstâncias, das quais seis bebés asfixiados pelas mães logo a seguir ao parto.
Na soma dos últimos cinco anos, a Polícia Judiciária conta 55 crianças mortas em Portugal pelos seus progenitores. Em Espanha, com uma população quatro vezes e meia superior à portuguesa, 20 crianças foram mortas pelos pais em 2010.
Nas cifras do ano passado preponderam os sete bebés mortos pelas mães durante ou logo após o parto. Nestes casos, que a lei classifica como infanticídios, as penas raramente culminam em prisão efectiva, desde que tenha ficado claro perante o tribunal que o crime foi cometido sob a "influência perturbadora" do parto. Isto apesar de a lei possibilitar penas entre um e cinco anos de prisão.
A procuradora Dulce Rocha, do Instituto de Apoio à Criança, diz que ainda bem que a pena costuma ser atenuada. "Geralmente, nestas situações a culpa é diminuta. São mulheres em situação psíquica muito instável, que não conseguiram abortar e que estão desesperadas; aliás, desespero é mesmo a palavra que melhor descreve estes quadros."
Mais do que punir, parece reunir consenso a ideia de que o sistema deve é garantir o acompanhamento destas mulheres. "Haja ou não condenação em pena prisional, será sempre indispensável que o sistema assegure o apoio psicológico (antes do julgamento, depois deste e ao longo da pena ou do período de suspensão), bem como apoio social", sublinha Carlos Poiares, director da Faculdade de Psicologia da Universidade Lusófona, para lembrar que quem comete um crime desta natureza "está, em princípio, socialmente desinserido e carece de apoio que lhe permita a reinserção e o reenquadramento".
Em Portugal, não existem grandes estudos sobre infanticídios ou filicídios - a designação adoptada quando um pai mata o filho fora da influência perturbadora do parto. Foram 24, nos últimos cinco anos, tendo sido 13 cometidos pelos pais e os restantes 11 pelas mães. Rui Abrunhosa, professor na Universidade do Minho e especialista em comportamentos desviantes, aponta que o denominador comum nestes crimes é "a existência de perturbação mental, seja ela mais aguda, no caso dos infanticídios, ou mais crónica, no caso dos filicídios".
No caso dos infanticídios, Abrunhosa lembra que, em regra, as mulheres não possuem qualquer antecedente criminal. E Carlos Poiares sublinha, por seu turno, que muitas infanticidas foram e podem continuar a ser boas mães em relação a outros filhos. "Já conheci uma infanticida que, entre o acto e o dia do julgamento, engravidou, teve a criança e levou-a depois para a cadeia. Que se saiba, conseguiu exercer a maternidade."

(Continua)


Fonte:Público

quarta-feira, 1 de junho de 2011

FELIZ DIA DA CRIANÇA




Porque são elas que dão mais encanto ao mundo e renovam e alimentam diariamente
a esperança num mundo melhor...
(Óscar Hilário)

"As crianças acham tudo em nada, os homens não acham nada em tudo." (Giacomo Leopardi)

"Não devemos explicar nada a uma criança, é preciso maravilhá-la."
(Marina Tsvetana)

"As crianças não têm passado, nem futuro, e coisa que nunca nos acontece, gozam o presente." (Jean de La Bruyère)


Neste dia - 1 de Junho - UM FELIZ DIA DA CRIANÇA... a todas as crianças e "àquela criança" que ainda existe dentro de nós.

terça-feira, 31 de maio de 2011

Tema em destaque nos últimos tempos que merece discussão e debate


Palestra: "Bullying em contexto escolar" (Dr.a Jacinta Sebastião)

A realizar no auditório do Agrupamento Vertical de Ferreiras, no dia 3 de Junho, entre as 17h e as 18:30h.
A acção integra-se nas comemorações do dia da Saúde, levado cabo pelo projecto PES.
A entrada é livre.

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Uma boa notícia... (O planeamento familiar é essencial!)



Gravidez na adolescência desceu de 12% para 4% em 30 anos

A gravidez na adolescência em Portugal baixou de 12 para 4% nos últimos 30 anos, revela um relatório que traça o perfil da saúde sexual e reprodutiva na União Europeia.
O documento, a que a Lusa teve acesso, está a ser ultimado e servirá de base de discussão na sexta-feira, durante os trabalhos de um encontro internacional com especialistas em saúde sexual e reprodutiva, que decorrerá em Lisboa.
O coordenador português do projeto, o ginecologista e obstetra Miguel Oliveira da Silva, explicou à Lusa que neste trabalho são abordadas cinco áreas: Saúde dos adolescentes, contracepção, apoio à maternidade, infertilidade e aborto.
O especialista, que preside actualmente ao Conselho Nacional de Ética das Ciências da Vida (CNECV), considera que, perante os dados obtidos, "Portugal não tem, entre os restantes 26 países da UE, dos piores resultados".
Miguel Oliveira da Silva sublinha a descida da gravidez na adolescência (entre os 15 e os 19 anos) para os 4,3 por cento, em 2009, quando em 1980 se situava nos 12 por cento.
Uma boa notícia que, para Miguel Oliveira da Silva, se deve ao recurso à contracepção.



Fonte: Lusa

quinta-feira, 26 de maio de 2011

A banalização da violência...







Metade dos jovens assiste a provocações e nada faz.

Mais de metade dos adolescentes portugueses (59,4 por cento) dizem já ter assistido a situações de provocação dentro da escola ou à volta dela. Destes, cerca de metade (54,8 por cento) assumem nada ter feito e houve mesmo 10,7 por cento que admitiram ter incentivado o provocador. São dados de um estudo apresentado no mês passado, coordenado pela psicóloga Margarida Gaspar de Matos.

Esperamos, no entanto, perante as imagens que assistimos, com a bárbara agressão que esta jovem sofreu, que se incuta e consciencialize os jovens que estes actos são considerados Crime Público e têm uma moldura penal consoante a sua idade. E que a falta de intervenção/passividade, perante situações testemunhadas como esta, são também consideradas crime por omissão se não forem denunciadas às autoridades competentes. Poderá obter mais informações sobre este estudo nos posts anteriores denominados "Não seremos todos um pouco, responsáveis?"

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Uma lição de vida! Como uma criança pode encher de esperança o ser humano num mundo mais solidário









Uma criança norte-americana encontrou na pintura a força que precisava para lutar contra um cancro e impedir que a casa dos pais fosse vendida para custear o tratamento. Na cama do hospital, Aidan Reed, de cinco anos, pintou 2460 "monstros" que o ajudaram a arrecadar mais de 20 mil euros.
A história de Aidan Reed, de cinco anos, é uma lição de vida, daquelas que deixam até os menos sensíveis com lágrimas nos olhos. No passado mês de Setembro, o miúdo do Kansas, Estados Unidos, foi diagnosticado com uma leucemia, que, segundo os médicos, tem uma alta taxa de cura, a rondar os 90%.
Depois da confirmação da doença, o menino foi submetido a um tratamento de quimioterapia e a outros procedimentos dolorosos para uma criança. Uma situação muito difícil para os pais, que também se viam cada vez mais endividados com as despesas do hospital.
A casa da família Reed foi a primeira a "sentir" os poderes devastadores do cancro, tendo sido posta à venda para pagar o caro tratamento de Aidan. Os Reed estavam num beco sem saída.
A solução encontrada foi "explorar" um dom do menino: a arte de desenhar. A tia da criança, Mandi Oisten, colocou os desenhos do miúdo à venda num site, que poucos dias depois se tornou um enorme sucesso.
"'O meu número de sorte é 60, então eu decidi que iria vender 60 desenhos', disse Ostein, que depois teve de transformar a sua casa numa "gráfica", devido ao enorme volume de encomendas provenientes do mundo inteiro.


Fonte: JN

sábado, 21 de maio de 2011

Uma sugestão para o reforço das competências parentais

O bullying é um dos mais complexos problemas que afeta as crianças e os jovens; e temos consciência de que os professores, na sua maioria, também são pais – convivem quase diariamente com essa realidade.

Por isso, temos o prazer de informar da edição de Proteja o Seu Filho do Bullying, da autoria de Allan L. Beane, um dos mais conceituados especialistas internacionais na matéria e um extraordinário orador.

Proteja o Seu Filho do Bullying explica o que é o bullying, como o prevenir e como o combater. É, por isso, um livro prático, objetivo, que se baseia em questões reais colocadas por pais que sofrem o mesmo problema. A partir da análise dessas situações, o autor apresenta de forma concisa valiosas estratégias para ajudar os pais.


Fonte: Porto Editora

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Já passou um ano? Quem diria... Parabéns a todos!


Um ano após a sua criação, parece-me justo dizer que este blogue tem desempenhado um bom serviço. Uma das minhas prioridades foi proporcionar um conjunto de informações, serviços e legislação que possam permitir uma compreensão mais abrangente do funcionamento das Comissões de Protecção, mas também possibilitar a intervenção de qualquer cidadão numa situação mais grave. Para breve será colocado online um formulário de sinalização para agilizar determinados procedimentos.
Por outro lado, têm sido divulgados vários colóquios, encontros, seminários e workshops subordinados aos direitos (e deveres!) das crianças, à sua promoção e protecção e a temas que possam desenvolver a formação e especialização de técnicos que, directa e indirectamente, trabalham com crianças e jovens. Procurou-se, ainda, publicar notícias que informem sobre dados, valores e números que reflictam a nossa sociedade em geral, e os jovens em particular, quer a nível nacional, quer a nível local, através das inúmeras iniciativas que vão surgindo, algumas delas com o apoio e colaboração da CPCJ de Albufeira.
Não devemos nunca baixar os braços num desígnio que acredito ser fundamental para um mundo melhor: - proteger e incentivar as crianças deste planeta, porque nunca é demais reforçar que o mundo será delas um dia, mas, para já, são elas as criaturas mais frágeis e inocentes, sobretudo, as de tenra idade.
Durante o ano em que este blogue tem funcionado, já foram publicadas mais de 40 notícias/posts que já tiveram a oportunidade de ser lidas por quase 2800 pessoas.
Sublinhe-se que este mural já foi lido a partir de um conjunto impressionante de países, de acordo com a estatística, destacando-se o Brasil com 190 visualizações (obrigado!),os EUA com 40 consultas (thanks), e a Alemanha com 10 (Vielen Dank für ihre Aufmerksamkeit). Também cidadãos residentes ou oriundos da Holanda, Canadá, Bulgária, Suíça, Espanha e Reino Unido já "espreitaram" o nosso blogue. A todos vós, um bem hajam, que estimula e encoraja o trabalho já realizado e ainda por edificar.
Obrigado... Agora é tempo de soprar a velinha!

Óscar Hilário

Professor Tutor/Representante do Ministério da Educ. na CPCJ

Diz "não" à violência! Participa



30 de Maio
11:00 Sessão de Abertura
Ana Paula Gonçalves, Presidente do Conselho de Administração
do Hospital de Faro, E.P.E.
José Maio, Director do Serviço de Pediatria do Hospital de Faro, E.P.E.
Raul Coelho, Coordenador do Núcleo Hospitalar de Apoio a
Crianças e Jovens em Risco do Hospital de Faro, E.P.E.
Conferência: A ARTE um recurso terapêutico com Crianças e
Jovens em Risco
Teresa Ricou ( Presidente e Mentora do Projecto Chapitô)
Local: Auditório do Hospital de Faro (inscrição obrigatória gratuita)
14:30 Oficina de Formação:
O papel da Segurança Social na assessoria aos Tribunais na
intervenção na Infância.
Maria do Carmo Brandão (Técnica Superior do Instituto da
Segurança Social, Chefe do sector da assessoria aos Tribunais)
Local: Auditório do Hospital de Faro (inscrição obrigatória gratuita)
Informação
Certificados de presença das oficinas de formação são entregues
no fim de cada actividade.

31 de Maio
11:00 Oficina de Formação:
Sigilo e Ética Profissional
André Botelheiro (Advogado, Assessor do Reitor da UALG)
Local: Auditório do Hospital de Faro (inscrição obrigatória gratuita)
14:30 Oficina de Formação:
Projectos de Desenvolvimento Local: Acções dirigidas à
Infância e Juventude.
Cristina Afonso (Técnica Superior do Instituto da Segurança Social)
Local: Auditório do Hospital de Faro (inscrição obrigatória gratuita)

1 de Junho
DIA MUNDIAL DA CRIANÇA
10:30 Oficina de Formação:
“Quebrar Silêncios…(re) construir histórias” - uma abordagem
terapêutica com Crianças e Jovens vítimas de abuso sexual
Patrícia Claudino (Psicóloga na equipa “Quebrar do Silêncio” - CAFAP;
Master em Arte-terapia Intermodal e Desenvolvimento Humano)
Local: Auditório do Hospital de Faro (inscrição obrigatória gratuita)
14:00 Actividades Lúdicas — Dia Mundial da Criança
• O Teatro no Hospital de Faro
• Grupo de Técnicos do Serviço de Pediatria
• Magia
• Lançamento de Balões
2 de Junho
11:00 Oficina de Formação:
Crianças e Jovens em Risco: que articulação?
Marta Chaves (Psicóloga , Coordenadora Regional da Acção da
Saúde para Crianças e Jovens em Risco)
Local: Auditório do Hospital de Faro (inscrição obrigatória gratuita)
14:30 Oficina de Formação:
Crianças e Jovens em Perigo: a parceria de uma CPCJ com a
Saúde... Uma experiência partilhada.
Conceição Rosa (Jurista, Presidente da CPCJ Faro)
Local: Auditório do Hospital de Faro (inscrição obrigatória gratuita)

3 de Junho
11:00 Oficina de Formação:
Afinal o Tribunal de Família e Menores não é um Papão!
Amílcar Martins (Procurador da República do Tribunal de Faro)
Local: Auditório do Hospital de Faro (inscrição obrigatória gratuita)

Inscrições limitadas
Devem ser efectuadas por correio ou telefone.
Não se aceitam inscrições por e-mail
Secretariado:
Teresa Alexandre
Praceta Azedo Gneco Bloco 17E, 1ºB, 8000 Faro
Contactos: 289 001 932 92-5482240
Fax: 289-001934
Comissão Organizadora:
Raul Coelho
Maria Rosa Machado
Helga Nunes
Fernanda Simões
Sónia Pimpão
Ana Solá
Teresa Alexandre
Apoio

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Direitos e deveres das crianças em discussão...


IV Colóquio: "Sujeito de Direitos... e Deveres - 20 de Maio


É uma entidade de natureza privada, de carácter particular, sem fins lucrativos e que tem sede no Hospital de Faro.



Objectivos:
- Organizar e apoiar todas as iniciativas conducentes a uma melhoria dos cuidados de saúde e bem estar do doente de Pediatria.
- Colaborar activamente na área social do hospital, em parti-cular no acolhimento, internamento, serviço ambulatório e assistência domiciliária ao doente de Pediatria.
- Promover e apoiar as iniciativas culturais e recreativas da comunidade que se destinem a beneficiar o Serviço de Pediatria do Hospital e os seus utentes.
- Promover o intercâmbio de conhecimentos técnicos e cien-tíficos entre os seus associados e outras pessoas interessa das pela saúde infantil.
- Contribuir para o desenvolvimento da educação e ensino em saúde infantil.
- Promover congressos, conferências, colóquios.


Para mais informações:
Serviço de Pediatria
Rua Leão Penedo
8000 - 386 Faro
Telefone: 289 001 922
Fax 289 001 924

sábado, 7 de maio de 2011

Não seremos todos, um pouco, responsáveis? - Estudo sobre comportamentos de risco entre os jovens em idade escolar - Parte III


Mas há várias boas notícias no estudo, sublinha Margarida Gaspar de Matos. Uma nota positiva é que se vem assistindo a um aumento crescente da escolaridade dos pais (que se situa no 2.º e 3.º ciclos) e outra é que "todos os miúdos têm computador e metade tem acesso à Internet em casa", o que coloca Portugal a par dos países europeus mais avançados nesta área.
O reverso da medalha deste último aspecto é o aumento do tempo passado em frente ao ecrã - quer do computador, quer da televisão - e o consequente sedentarismo e aumento de peso por falta de actividade física. Fazendo eco de muitos outros estudos que têm feito soar o alarme da obesidade infantil, os dados agora recolhidos confirmam a tendência: 18,8 por cento sofrem de excesso de peso ou obesidade. O consumo de tabaco e álcool continua a descer, mas o consumo de haxixe apresenta uma tendência de aumento, o que faz a coordenadora temer pelo "desinvestimento nas políticas de prevenção desta área". E há dois dados que persistem nos vários estudos e em que Portugal tem dos piores indicadores da Europa:
os jovens nacionais são dos que mais dizem sofrer de stress relacionado com os trabalhos de casa e são dos alunos que acham que os professores menos os acham capazes.



Muitos assistem a lutas no recreio e não fazem nada

Mais de metade dos adolescentes portugueses (59,4 por cento) referiram ter assistido a situações de provocação na escola, das quais cerca de metade ocorreu no recreio. Dos que dizem ter presenciado, cerca de dois terços referem não ter feito nada e terem-se afastado, 54,8 por cento não fizeram nada e ficaram a
ver e houve mesmo 10,7 por cento que incentivaram o provocador. Para a coordenadora do estudo, esta "é uma forma de violência pela passividade, os que assistem e não fazem nada ou até incentivam". "São - resume - os espectadores". Também a Internet pode ocasionar novas formas de violência (ciberbullying), mas a grande maioria (84,1 por cento) não se envolveu neste tipo de provocações. Nos que o fizeram, o
Messenger foi o meio mais usado, seguido das mensagens de telemóvel. Entre os que se viram envolvidos nestas situações, a grande maioria conseguiu ultrapassar o problema.

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Não seremos todos, um pouco, responsáveis? - Estudo sobre comportamentos de risco entre os jovens em idade escolar - ParteII



Tentando compreender quem são estes miúdos, a equipa de investigadores constatou que os que fazem mal a si próprios são "uma minoria preocupante com vários comportamentos de risco": são quem mais fuma, bebe, consome drogas (nomeadamente cannabis), têm maior envolvimento em provocações, maior dificuldade em fazer amigos. Estes jovens ou acham-se muito gordos ou muito magros, sem que isto
corresponda a um índice de massa corporal real. São ainda os que mais têm pais que pouco ou nada sabem sobre os seus amigos, o seu tempo livre e para onde saem à noite. Por fim, "são os que mais frequentemente dizem estar tristes e não aguentar...".
Para a investigadora, "este é um comportamento que possivelmente tem vindo a aumentar sem que ninguém se tivesse apercebido". "Temos que estar atentos", diz, para ressalvar que, em países como Estados Unidos, Canadá e Finlândia, as prevalências andam entre os dez e os 15 por cento, não muito longe de Portugal.
O estudo, financiado pelo Alto Comissariado da Saúde e pela Coordenação Nacional para o VIH/Sida, defende que é preciso arranjar estratégias para ajudar estes jovens "a auto-regular-se do ponto de vista emocional sem recurso a "extras", quer virados para fora, como a violência, o consumo de substâncias, quer virados para dentro, como o magoar-se a si próprio, isolar-se, comer em demasia".

sábado, 30 de abril de 2011

Não seremos todos, um pouco, responsáveis? - Estudo sobre comportamentos de risco entre os jovens em idade escolar alerta...


Quinze por cento dos jovens magoam-se de propósito.


Estudo com 5050 adolescentes portugueses, com uma média de 14 anos, mostra que consumo de tabaco e
do álcool está a descer e o de haxixe a aumentar.
Os jovens costumam mutilar-se em partes do corpo não visíveis, diz estudo (Nelson Garrido)
É um fenómeno que tem sido detectado noutros países: há adolescentes que se magoam a si próprios com
pequenos cortes, pequenas queimaduras. No estudo sobre adolescentes portugueses que hoje, dia 14 de Abril, é
apresentado em Lisboa fez-se a pergunta pela primeira vez e a resposta deixou a coordenadora do estudo "assustada": 15,6 por cento referem "ter-se magoado de propósito nos últimos 12 meses, mais do que uma vez".
Em idas a congressos internacionais onde se falava destes comportamentos, Margarida Gaspar de Matos, a coordenadora do estudo português que é feito no âmbito da Organização Mundial de Saúde e em que participam mais 43 países, sempre achou que a realidade não afectaria Portugal da mesma forma. Mas, como sabia que era "um fenómeno geracional" em vários países, decidiu incluir perguntas sobre o tema no estudo dos comportamentos dos jovens em idade escolar, realizado no ano passado, e que já tinha sido
feito em 1998, 2002 e 2006. Os resultados, admite, surpreenderam-na. São 15,6 por cento os adolescentes dos 6.º, 8.º e 10.º anos de escolaridade, com uma média de idades de 14 anos, que referem ter-se magoado de propósito nos últimos meses. Cerca de metade (52,9 por cento) disse tê-lo feito nos braços, 24,7 por cento nas pernas, 16,7 na barriga e 22,5 por cento noutros locais do corpo. A amostra é representativa desta população: foram inquiridos 5050 jovens.
"Magoam-se normalmente em sítios não visíveis", explica Margarida Gaspar de Matos, que dirige a equipa de investigadores da Faculdade de Motricidade Humana e Centro de Malária e Doenças Tropicais, em Lisboa. Trata-se de agressões autodirigidas que servem "como forma de auto-regulação emocional", sintoma "da dificuldade em gerir emoções". "São adolescentes que não conseguem lidar de outra forma
com o facto de estarem tristes, irritados, desesperados", continua.

quarta-feira, 27 de abril de 2011

A APPDA convida: Perturbações de desenvolvimento e do espectro do Autismo



Exmos. Senhores,

A APPDA-Algarve tem o prazer de apresentar uma conferência dirigida a
todos os profissionais que trabalham com crianças com Perturbações de
Desenvolvimento e do Espectro do Autismo, familiares destas e todos os
apaixonados pelo tema.

A Conferência intitulada "Da Detecção à Vida Adulta - Perturbações de
Desenvolvimento e Autismo", será realizada no dia 30 de Abril no
Auditório do Instituto Português da Juventude (IPJ), em Faro.

As inscrições são limitadas ao número de lugares do auditório, podendo
ser realizadas pessoalmente na sede da associação, através de e-mail
(info@appda-algarve.pt), fax ou telefone 282 431 476 / 964 662 596.
NIB: 0036 023 999 1000 243 5994

Junto em anexo, encontrará mais informações.

Atentamente,

Pl'a Direcção

Dra. Nélia Martins Capelinha
Psicóloga - APPDA Algarve
Rua Bento Jesus Caraça n.º 8, R/C Esq. 8500-570 Portimão
Telef./Fax: 282 431 476
info@appda-algarve.pt
www.appda-algarve.pt

sexta-feira, 8 de abril de 2011

O Bullying em debate

WORKSHOP "Bullying - Estratégias e Intervenção"

A Bem Me Quero, vai promover no próximo dia 14 de Maio o Workshop "Bullying - Estratégias e Intervenção". Clique aqui para saber mais e preencher a sua ficha de inscrição!
https://sites.google.com/a/bmq.pt/workshops/

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Valorizar a diferença, construir o futuro...



Terminou no final de 2008 o projecto-piloto “Intervenção Precoce – Construção de Boas Práticas”, que acompanhou cerca de cem crianças de idade inferior a seis anos com problemas de desenvolvimento ou em risco, com vista a desenvolver a sua autonomia. O projecto foi, simultaneamente, responsável por um trabalho de capacitação das famílias daquelas crianças, para que pudessem assumir plenamente o seu papel na educação dos seus filhos e no apoio ao seu desenvolvimento, e pela realização de um estudo mais aprofundado que permitiu compilar algumas práticas recomendáveis em Intervenção Precoce, adaptadas à realidade portuguesa. Os resultados deste estudo foram apresentados numa conferência que se realizou a 10 de Dezembro de 2009, na Fundação Gulbenkian, e que contou com uma intervenção do Professor Don Bailey sobre a Convenção dos Direitos das Pessoas com Deficiência, já ratificada por vários países pertencentes às Nações Unidas e recentemente ratificada por Portugal. Além de Bailey, a conferência contou ainda com a participação do Professor Daniel Sampaio e dos responsáveis pelo referido projecto. No mesmo dia foi ainda lançado um Manual de Boas Práticas para profissionais de Intervenção Precoce e investigadores, assim como uma brochura de fácil leitura para as famílias e o público em geral. A Intervenção Precoce é um assunto que tem estado na ordem do dia, devido às políticas de integração de crianças com necessidades educativas especiais nas escolas públicas e a suspensão dos apoios para um acompanhamento precoce das crianças, de modo a evitar o agravamento das patologias diagnosticas. O projecto foi promovido pela Cooperativa Torreguia, numa parceria com a Cercizimbra, a Fundação Calouste Gulbenkian, a Câmara Municipal de Sesimbra e o Rotary Club de Sesimbra.


Faça download de

Brochura para famílias: “Os nossos filhos são… diferentes – Como podem os pais lidar com uma criança com deficiência” AQUI

Brochura para técnicos: “E quando atendemos crianças… diferentes” AQUI

Fonte: Crianças a torto e a Direitos

terça-feira, 22 de março de 2011

Bullying - Quando a violência gera violência. Teremos dois agressores ou duas vítimas? À vossa reflexão..

Um dos rapazes, de 16 anos, começa por ser agredido a soco por um miúdo mais baixo e mais magro, antes de reagir com violência atirando-o contra o chão. A cena foi filmada pelos colegas e publicado no Facebook.

Os protagonistas do vídeo (a quem já foram dadas alcunhas) queixam-se ambos de serem vítimas de bullying. Um e outro, bem como os respetivos pais, têm sido entrevistados por televisões e jornais australianos. Richard, que provoca o outro jovem, diz que era agredido na primária. E acrescenta que só fez o que fez porque o colega o insultava.

O colega (cujo golpe aplicado a Richard já foi copiado por uma empresa sul-coreana para uma animação) diz que há anos é gozado e agredido pelos colegas.

Fonte: Expresso
video

Contribua praticando desporto!


A Associação de Apoio à Pessoa Excepcional do Algarve (APEXA) vai realizar, no próximo dia 17 de abril, a partir das 8:00 horas, o seu IV Passeio Solidário de Cicloturismo.
A concentração será junto à sede em frente ao AlgarveShopping, na Guia, no concelho de Albufeira, com as receitas a reverterem para a associação.
Para outras informações e inscrições, pode contactar os números 289561637 e 960172730 ou o endereço eletrónico info@apexa.org.

quarta-feira, 16 de março de 2011

O dia do Pai assinalado pelo Hospital de Faro



Sob o título «Ser Pai – O Compromisso da Paternidade», a iniciativa centrar-se-á no processo de transição para a parentalidade vivenciado pelos futuros pais, dando destaque ao papel do pai como fonte de apoio à mulher, não só durante a gestação, como no momento do parto e nas responsabilidades partilhadas em relação ao recém-nascido nos primeiros meses de vida.
A iniciativa está agendada para as 15h30, no auditório desta unidade de saúde, e contará com as intervenções de Olga Santos e Alexandrina Botinas, ambas Enfermeiras Especialistas em Saúde Materna no Serviço de Urgência de Ginecologia e Obstetrícia do Bloco de Partos do Hospital de Faro.
Os testemunhos de pais que recentemente passaram por este processo completarão o painel de oradores.

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Porque o envolvimento dos pais é fundamental no sucesso dos filhos



A Câmara Municipal de Silves, através do Serviço de Psicologia e Orientação para Todos, promove, nos próximos dias 4 e 11 de Março, a acção de sensibilização “A Relação Pais-Escola: Que futuro?”. A iniciativa, com início marcado para as 18h30, irá decorrer no auditório da EB 2,3 Dr. António Contreiras, em Armação de Pêra.

Analisar a qualidade das actuais relações existentes entre a Família e a Escola e promover a aquisição de conhecimentos, competências e estratégias que conduzam ao bem-estar de toda a comunidade educativa e ao sucesso escolar dos alunos são os principais objectivos desta ação de sensibilização que será desenvolvida em duas sessões: a primeira, realizada a 4 de Março, dirigida aos pais e a segunda, marcada para o dia 11 de Março, dirigida aos Professores.

A accção é limitada a 80 participantes, os interessados deverão contactar com o SPOT do Agrupamento de Escolas de Armação de Pêra através do telefone 282 315 320 ou através do email: psicologia@cm-silves.pt

domingo, 20 de fevereiro de 2011

E porque não...?



Desde a entrada em vidor do Decreto Lei 91/2009 que é possível colaborar com as instituições de solidariedade sociais sem fins lucrativos através de uma consignação de 0,5% prevista no preenchimento do IRS fazendo com que essa verba reverta para uma destas entidades responsáveis por cuidar de crianças carenciadas e desprotegidas - no caso O Refúgio Aboím Ascenção - que agradecerão esse gesto que poderá salvar a vida a uma criança e repôr-lhe um sorriso há muito perdido. Contribua! Este acto ainda se reveste de maior nobreza neste dia em que se comemora o dia mundial da Justiça Social. Ajude hoje um desconhecido, porque amanhã poderá ser um amigo e, um dia mais tarde, sermos nós...
Clique aqui para obter mais informações:

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

A violência infantil e doméstica em debate



O Agrupamento Vertical de Ferreiras leva a cabo uma sessão que pretende abordar e elucidar a comunidade educativa sobre temas tão importantes e prementes como a violência infantil e doméstica. O evento inicia-se às 16:30 no auditório da escola e conta com a colaboração de dois elementos da Comissão de Protecção de Crianças e Jovens de Albufeira que irão dar o seu contributo enquanto oradores. A entrada é livre e aberta a todos os interessados que revelem sensibilidade em matéria de infância e juventude ou, simplesmente, vontade e dedicação no combate a estes flagelos...

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Iniciativas que se aplaudem...




Sapatos, botas, ténis, chinelos, sandálias... Todos eles fazem parte das nossas vidas, até que um dia nos deixam de servir, gastam-se ou deixamos de usá-los.

Neste sentido, e para evitar que deixe de "dar corda" aos seus sapatos, a empresa de reparação de calçado Botaminuto lançou a campanha solidária "Sapatos com Histórias", que convida as pessoas a desfazerem-se dos sapatos que já não usam e deixá-los em qualquer loja desta cadeia. Depois de arranjado, todo o calçado é encaminhado para instituições de solidariedade social e ajuda a aquecer os pés frios de Norte a Sul do país.

Até 15 de Fevereiro, participe nesta iniciativa e entregue os seus sapatos usados, de adulto ou criança, no ponto de recolha mais perto de si. Poderá ainda partilhar a história do seu par de sapatos nas redes sociais!

É tempo de ajudar...dê os seus sapatos a quem não os tem!
No Algarve, o ponto mais próximo é em Tavira...



Sabia que este é o quarto ano consecutivo que a Botaminuto promove esta campanha e que, em 2010, conseguiu angariar 9000 pares de sapatos?

http://www.sapatoscomhistorias.com/delivery_spots.php

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Prioridade às Crianças - Cáritas


A Cáritas Portuguesa está a desenvolver o projecto «Prioridade às Crianças», promovendo, no próximo dia 29 de Janeiro, em Fátima, um encontro nacional sobre esta temática.

Num comunicado enviado à Agência ECCLESIA, Eugénio da Fonseca, presidente da Cáritas Portuguesa, realça que os objectivos deste projecto passam pela criação das condições “para prevenir as situações que ponham as crianças em situação de perigo e de apoiar todas as que possam ser vítima de qualquer tipo de maus tratos”.

Para a actividade a realizar no Hotel Cinquentenário, Eugénio da Fonseca convida todos aqueles que estejam interessados “em defender os direitos das crianças e se motivem, na sua comunidade, a criar condições para que se evitem qualquer tipo de condições favoráveis a negligências para com inocentes”.

sábado, 22 de janeiro de 2011

Será a repressão o melhor caminho? E será apenas a prevenção suficiente? Comentem!


A violência escolar passa a ser crime público. A proposta de lei do Governo para criminalização da violência nas escolas foi ontem, dia 21, aprovada no parlamento.
Com a definição deste crime, os jovens dos 12 aos 16 anos, inimputáveis para efeitos da lei penal, podem ser penalizados com a aplicação de medidas tutelares educativas e os mais velhos podem sofrer, em caso de morte da vítima, prisão até dez anos.
As recomendações ao Governo para reforçar os meios da ‘Escola Segura' e apresentar no Parlamento relatórios semestrais sobre segurança e violência escolar foram também aprovados. (fonte: CM)

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Cantina Social - Uma resposta adequada de uma entidade com competência em matéria de infância e juventude

O presidente da câmara de Albufeira confirmou que entre 60 e 70 pessoas, numa primeira fase, já mostraram interesse em usar os serviços da cantina social de autarquia, onde diariamente é servido o almoço aos funcionários da câmara.
O autarca explicou que esta cantina, que se localiza perto da escola secundária desta cidade algarvia, faz este serviço entre as 18:00 e as 20:00 todos os dias da semana, incluindo sábados, domingos e feriados e não aumenta os custos desta autarquia.
"Os produtos alimentares são oferecidos por várias cadeias e estão todos dentro do prazo, incluindo produtos frescos desde peixe e carne, fornecidos por empresários individuais e empresários em nome de empresas», frisou. (Fonte: TSF)


Esta refeição, não satisfazendo as necessidades alimentares diárias de um menor, é, indubitavelmente, uma ajuda substancial para as crianças, cujos agregados familiares tenham dificuldade em providenciar uma refeição condigna e, sublinhe-se, essencial para o normal desenvolvimento de uma criança, seja em termos de crescimento, seja em termos de maturação.
Aplaude-se, portanto, a iniciativa e deseja-se que as pessoas carenciadas não tenham "prurido" em aceder a esta mais valia que lhes é fornecida.
O.H.

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Exclusão Social...



Um filme que merece a nossa reflexão podendo, ainda, constituir-se como um ponto de partida para a discussão do tema. Tenhamos a consciência que, a par dos idosos, as crianças são aquelas que mais sofrem com este flagelo que grassa na nossa sociedade e contra o qual devemos combater através de pequenos gestos que podem contribuir para grande mudanças...
Óscar H.

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Por ser verdade, impôe-se a divulgação deste pedido

"Sou funcionário Público do Instituto da Droga e da Toxicodependência há já 16 anos, muitos de vós me conhecem, se calhar a maioria nem tanto, mas venho pedir a vossa ajuda e boa vontade:

Há quase 4 anos adoptei com a minha mulher um casalinho de irmãos, agora ele com 7 anos e ela com 9 anos.

Com ele está tudo bem, mas com ela estamos com problemas: além de diabética insulinodependente, agora apareceu-lhe uma leucemia e está internada desde dia 13 de Dezembro de 2010 no Instituto Português de Oncologia em Lisboa.

Diagnosticada com leucemia linfoblástica aguda tipo B (que como nos disseram até não seria das piores, é já chamada de "trivial") teríamos um tratamento durante 2 anos com 80% de probabilidades de recuperação.

Mas, como decididamente ela nasceu sem a tal estrelinha da sorte, detectou-se que tem uma alteração genética no cromossoma filadélfia

(21) que dificulta muito o efeito da quimioterapia que a minha filha tanto precisa, reduzindo muito a possibilidade de sucesso Temos assim, bem mais tratamentos de quimioterapia pela frente, para fazermos e o inevitável: TRANSPLANTE DE MEDULA

PRECISO QUE TODOS OS QUE QUISEREM, QUE PUDEREM SEJAM DADORES DE MEDULA ou pelo menos se sujeitem ao teste, se tiver entre os 18 e os 45 anos.

É difícil encontrar um dador compatível, mas não é impossível!!!

Por favor, dirijam-se ao Instituto Português do Sangue, Instituto Português de Oncologia ou aos Centros de Histocompatibilidade do Norte, Centro e Sul (www.chnorte.min-saude.pt; www.histocentro.pt; www.chsul.pt ) e disponibilizem-se!!!

OBRIGADA e agradeço do fundo do coração."





Núcleo de Licenciamento e Fiscalização
Departamento de Tratamento e Reinserção

Instituto da Droga e da Toxicodependência, IP

Praça de Alvalade, n.º 7 - 10º

1700-036 LISBOA

Tel.: 211 119 156

Fax: 211 112 755